• Guilherme Fressato

A HISTÓRIA DO GP DE PORTIMÃO

Sejam muito bem-vindos amantes da velocidade da nossa querida Estante do Esporte, vamos agora mergulhar juntos em todas as emoções que envolveram a etapa portuguesa da maior categoria do automobilismo mundial.


LARGADA E RELARGADA

Com show de Bottas no Q3 da classificação que resultou em sua pole, largando ao lado de seu companheiro, o heptacampeão Lewis Hamilton e Max Verstappen logo atrás em terceiro, a largada viria com fortes emoções. E assim aconteceu. O finlandês cumpriu a risca o manual da boa largada, enquanto Hamilton segurou bem Verstappen contendo a investida de Max Verstappen com sua RBR para assumir as posições nas dianteiras.


Quem começou mal foi Checho Pérez que acabou sendo ultrapassado por Carlos Sainz e sua Ferrari. Outro destaque também foi para Lando Norris que após um belo pulo de Ocon na largada, respondeu a altura o francês, o deixando para trás ainda na primeira volta.

Logo na segunda volta tivemos Safety Car. Kimi Raikkonen, o homem de gelo, acabou errando em movimento de ultrapassagem sobre seu companheiro de Alfa Romeo, Antonio Giovinazzi, e colidindo. Era fim de prova para o finlandês deixando muitos detritos na pista. Após algumas voltas, a relargada emocionante. Bottas segurou o pelotão, obrigando muita gente a ficar emparelhada lado a lado, dentre eles seus principais adversários. Melhor para Verstappen que mergulhou e ultrapassou Lewis Hamilton na curva ao fim da reta. Sainz agora teve uma péssima relargada e acabou perdendo duas posições para Pérez e Lando Norris.


RECUPERAÇÃO DO CAMPEÃO

Hamilton observa com paciência os ataques de Verstappen a Bottas nas disputa pela liderança, e em um desses momentos, o holandês acaba errando. O erro não passa impune, o inglês multicampeão engole o adversário ao fim da reta na 11ª volta e retoma a caçada ao companheiro de equipe. O que não leva muito tempo, já na volta 20 veio a ultrapassagem com muita tranquilidade que definiria o novo líder da prova. Enquanto isso, a outra RBR, com o mexicano Checo Pérez assumia a quarta posição.


Após a volta 20, o que se viu foram as estratégias de manutenção de pneus por parte dos líderes. Na estratégia de paradas, melhor para a RBR. Verstappen parou algumas voltas antes de Valteri Bottas, que no retorno após sua parada e com pneus frios não foi capaz de segurar a segunda posição. Vale destacar que os os compostos duros foram escolhidos pela maior durabilidade em uma prova que viu um pneu médio ser usado até a volta 52 por Sergio Pérez. Hamilton como sempre levou o equipamento com a melhor conservação com toda sua perícia de pilotagem para mais uma vitória, a de número 97 na carreira.

DESTAQUES E FRUSTAÇÕES


Os destaques da corrida certamente ficam por conta da equipe Alpine e Daniel Ricciardo que escalaram o pelotão. A equipe francesa que não vinha de um bom início de campeonato conseguiu concluir a prova com os dois carros nas posições de pontuação. Esteban Ocon travou belíssimas disputas durante toda a corrida, chegando em 7º e Alonso em um trecho final muito bom conclui em 8º. O australiano da McLaren, desclassificado no dia anterior no Q1, recuperou-se muito bem e terminou em 9º.


A frustração novamente fica com a Aston Martin que não consegue repetir tudo aquilo que abrilhantou a temporada passada, ainda como Racing Point. Lance Stroll e Sebastian Vettel não tiveram nenhum momento de bom desempenho durante toda a prova e ficaram para trás da Alfa Romeo de Giovinazzi, apenas a frente das Williams e HAAS.


CONFIRA A CLASSIFICAÇÕES DE PILOTOS E CONSTRUTORES


3 views0 comments

Recent Posts

See All