• Redação

ANÁLISE: O que é 'porpoising'


A palavra 'porpoiising' está de volta à moda na F1, tendo estado em grande parte ausente do vocabulário nos últimos 40 anos - quando tivemos carros de efeito solo pela última vez...

Praticamente todas as equipes estavam reclamando do fenômeno no primeiro dia de corrida para a nova geração de carros.


Um violento salto na suspensão em alta velocidade é o que o motorista sente. A causa é aerodinâmica, onde a borda de ataque do piso, ou talvez a asa dianteira, é empurrada cada vez mais para perto do solo à medida que a força descendente que atua sobre ela aumenta. Quanto mais próximo do solo ele fica, mais poderoso é o efeito do solo, pois o ar corre cada vez mais rápido através do espaço cada vez menor.


LEIA MAIS: Veja como foi o 2º dia de testes em Barcelona


Isso aumenta a diferença de pressão entre as superfícies inferior e superior, aumentando ainda mais a força descendente – até que ela pare. Nesse ponto, grande parte da carga é liberada de repente, a frente do carro sobe repentinamente em resposta - o que permite que o efeito solo comece a funcionar novamente! Repita de forma cíclica até chegar a hora de frear para a curva...


Com muito mais força descendente na parte inferior da carroceria, suspensões mais rígidas e pneus mais rígidos (portanto, sem tanto efeito de amortecimento), o problema voltou com força total. Nenhuma das equipes tinha visto esse efeito na simulação. Em um túnel de vento, mesmo a faixa mais rígida da estrada rolante é mais flexível do que a superfície da pista, e modelar com precisão a dinâmica das molas e amortecedores nessa situação não é realmente possível.


Assim, as equipes agora estão de volta à mesma posição dos pioneiros do efeito solo do final dos anos 1970/início dos anos 1980 de tentar tornar a parte de baixo do carro um pouco menos crítica e parecida com interruptores - seja alterando a forma das superfícies ou ajustar a suspensão.


Ironicamente, os truques hidráulicos das suspensões que acabaram de ser banidas teriam sido muito úteis neste…


Observar como as equipes lidam com essa demanda imprevista será fascinante. Mas lidar com isso eles certamente o farão.


Analise do Mark Hughes

52 views0 comments