• Estante Do Esporte

CONFIRA COMO FORAM OS JOGOS DA SUPERCOPA FEMININA

VEJA COMO FOI A PRIMEIRA FASE DA COMPETIÇÃO COM DIREITO AO CLÁSSICO PAULISTA...

Emoção até o fim

FORA DE CASA, REAL BRASÍLIA VENCE INTERNACIONAL POR 1X0 E VAI À SEMI DA SUPERCOPA FEMININA

Partida de abertura da competição teve disputa acirrada, duas bolas no travessão e grandes chances de gol


Em jogo muito disputado, Internacional e Real Brasília deram o pontapé inicial da Supercopa do Brasil de Futebol Feminino na noite desta sexta-feira (4). No Beira-Rio, as brasilienses derrotaram as coloradas por 1x0 e garantiram a primeira vaga para as semifinais.


O JOGO

O primeiro tempo foi marcado pelo equilíbrio e muito confronto físico entre as equipes. O Inter teve sua maior chance aos 30 minutos, quando levou perigo com um belo passe em profundidade de Millene para Fabi Simões. A bola passou por trás da defesa e só não encontrou a atacante na linha da pequena área porque foi interceptada na saída da goleira Dida.


O placar foi inaugurado no último lance da primeira etapa. Aos 46 minutos, em jogada construída pela ala direita, Roberta cruzou rasteiro para encontrar Geovana Alves, que abriu espaço por trás da zagueira Bruna Benites e completou de primeira para o fundo da rede. As donas da casa reclamaram de um empurrão de Roberta em Djeni no lance.


As Gurias do Inter voltaram para o segundo tempo impondo pressão às brasilienses, dominando a partida durante toda a etapa final. Em busca da virada, as coloradas obrigaram a goleira Dida a executar grandes defesas. A primeira ocorreu logo aos 13, em chute colocado de Duda, mas a arbitragem assinalou o impedimento.


O Real Brasília segurava o resultado e viu o Inter colocar duas bolas seguidas no travessão: uma aos 19, em nova tentativa de Duda, e outra aos 20 com Mai Mai. Aos 23, após grande jogada de Fabi Simões, Mai Mai chutou cruzado com a goleira Dida já vencida, mas a zaga desviou e afastou o perigo.


As coloradas buscaram o empate até o último apito. Aos 47 do segundo tempo, após falta dura em Fabi Simões, a zagueira Rafa Soares recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulsa. Na última tentativa, a goleira Dida encaixou a finalização de Lelê e carimbou o passaporte das brasilienses à semi.


Nos detalhes!

GRÊMIO BATE O CRUZEIRO POR 2 A 0 E CONQUISTA VAGA NA SEMI DA SUPERCOPA FEMININA

Cria da base tricolor, a zagueira Paty abriu o placar de cabeça e, no último minuto, a estreante Dani Ortolan fez o segundo de pênalti


Nesta sexta-feira (4), Grêmio e Cruzeiro travaram disputa equilibrada no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo, na segunda partida da Supercopa do Brasil de Futebol Feminino. Aos 30 do segundo tempo, o Tricolor saiu na frente com o cabeceio certeiro da zagueira Paty e fechou a conta aos 48, com gol de pênalti de Dani Ortolan. Agora, as gaúchas enfrentam o vencedor de Flamengo x Esmac na semifinal.


O JOGO

A partida começou movimentada. Logo aos dois minutos, Mari Pires aproveitou um erro de saída de bola do Grêmio para servir Rita Bove, que carimbou a trave. Aos oito minutos, Tchula fez belo desarme após a Raposa construir boa jogada na troca de passes.


Se o Cruzeiro criou mais chances nos minutos iniciais, o Grêmio chegou bem perto do gol na metade da primeira etapa. Aos 19 minutos, Luany avançou pelo lado direito e recebeu em profundidade, mas acabou perdendo ângulo ao invadir a área e a goleira Rubi executou saída providencial para mandar o perigo pela linha de fundo.


Em jogada de bola parada, no minuto seguinte, Jéssica recebeu o cruzamento e cabeceou no travessão. O Cruzeiro respondeu sete minutos depois: a capitã Vanessinha arrancou pela direita e construiu bela jogada, encontrando Rita Bove na entrada da área. A meia bateu colocado no canto inferior esquerdo da goleira Lorena, que espalmou.


No fim do primeiro tempo, mais uma boa chance para cada lado. Aos 38, novamente pelo lado direito, Bove fez bom lançamento para Vanessinha, que foi travada ao tentar cruzar para trás. As gremistas retrucaram aos 45: Rafa Levis levantou a bola na área e, na sobra, Caty finalizou de primeira com a canhota, mas a bola desviou em Nine e foi pela linha de fundo.


Vantagem construída nos minutos finais


O segundo tempo começou com o placar zerado e alternância de chances entre as duas equipes. Aos 11, o Cruzeiro teve boa oportunidade quando Rita Bove recebeu livre pelo meio, acionando Vanessinha na direita. A atacante invadiu a área e, no desvio da zaga, a bola encobriu a goleira Lorena, mas saiu por cima do gol.


O Grêmio voltou a levar perigo aos 18. Rafa Levis cobrou escanteio na segunda trave e a bola ficou viva na área. Parecia um ensaio do primeiro gol da equipe gaúcha. Aos 30 minutos, Levis cobrou falta e cruzou na medida para Paty na entrada da pequena área. A zagueira subiu no meio de duas marcadoras e cabeceou no ângulo, sem chance de defesa para a goleira Rubi, para marcar seu primeiro gol pela equipe profissional do Grêmio.


Logo na sequência, Rubi salvou o que seria o segundo gol das gremistas, espalmando após Cássia receber livre na meia esquerda e tentar o ângulo. O Cruzeiro chegou perto do empate aos 42, quando Nine cruzou para Rita Bove finalizar de primeira nas mãos de Lorena. A pressão cruzeirense nos minutos finais não chegou a ameaçar o triunfo do Tricolor, que ainda teve um pênalti a seu favor aos 48 da etapa final. Após ser derrubada na área, a estreante Dani Ortolan bateu com categoria, converteu a penalidade e confirmou a classificação do Grêmio à semi.


Mengão classificado!

FLAMENGO VENCE ESMAC POR 2 A 0 E CONQUISTA VAGA NA SEMI DA SUPERCOPA

Sob os olhares da técnica Pia Sundhage, rubro-negras carimbam passaporte com gols de Darlene e Duda


Quem esteve no Estádio Luso-Brasileiro neste domingo, como a técnica Pia Sundhage, viu Flamengo e Esmac protagonizarem um confronto muito intenso, especialmente na primeira etapa. Estreando seis de seus nove reforços para a temporada, o Flamengo contou com gols de Darlene e Duda para superar as paraenses e garantir a vaga para a semifinal da Supercopa do Brasil de Futebol Feminino. Na próxima quarta-feira, as rubro-negras duelam contra as Gurias Gremistas pela vaga na decisão do torneio


O JOGO

Sob o forte calor do Rio de Janeiro, os times fizeram um primeiro tempo de alta voltagem. A capitã rubro-negra, Darlene, respondeu pelas duas conclusões mais perigosas no início da partida. Logo no primeiro minuto, tentou de bicicleta, mas a bola foi para fora. Aos seis, a nova camisa 10 da Gávea, Duda, construiu a jogada pelo meio e serviu a meia. Ela cortou para a direita e arriscou um chute forte da entrada da área, que explodiu no travessão. A bola sobrou para Leidi, que mandou para o gol e reclamou de pênalti no lance.


O Flamengo não demoraria a inaugurar o placar. Em bola alçada na área da Esmac, a zagueira Lorena e a goleira Letícia Bussato dividiram a mesma jogada. Lorena tentou recuar de cabeça, mas Bussato já estava vencida no lance. A sobra foi de Darlene, que cortou a marcadora com habilidade e afundou a bola na rede. Aos vinte, a camisa 7 deu belo drible e serviu Duda na entrada da área, que cortou para a direita e bateu rasteiro no canto direito de Bussato, ampliando a vantagem rubro-negra.


A Esmac levou perigo logo na sequência, quando Raquel acionou Carolina em jogada de velocidade. O chute forte saiu à direita da meta de Gabi Crocco. Aos 43, Darlene quase marcou um gol olímpico, mas Letícia Bussato tirou de soco.



Na segunda etapa, o Flamengo manteve a pressão sobre a equipe paraense. Aos 12, Darlene cobrou falta na área da Esmac, a defesa cortou e Radija saiu em disparada no contra-ataque. Na meia-lua, a própria Darlene conseguiu a recomposição e chegou para fazer o desarme. Dois minutos depois, a Esmac viu o prejuízo aumentar quando Larissa Sanchez puxou a camisa de Anny Marabá e recebeu o segundo amarelo.


Aos 16, Duda construiu boa jogada na ponta esquerda, superando a marcação e cruzando para Gisseli. A lateral recebeu na entrada da área e tentou de voleio, mas a bola parou na defesa. Até o fim da partida, o Flamengo impôs seu domínio, criou muitas chances e passou bem perto de ampliar o placar.


A Esmac teve a oportunidade de descontar em cobrança de falta de Lora Soure, mas a bola passou por cima do gol. Agora, as rubro-negras enfrentam o Grêmio na próxima quarta em busca da vaga para a final.



Deu Timão!

CORINTHIANS DERROTA O PALMEIRAS POR 3 A 0 E VAI À SEMI DA SUPERCOPA FEMININA

Nos braços da Fiel, alvinegras se impõem no clássico e enfrentam o Real Brasília na próxima quarta-feira



Estreia já com clássico em Itaquera para Corinthians e Palmeiras! Embalado pela Fiel, que marcou presença na NeoQuímica Arena, o Timão conquistou a vaga para a semifinal da Supercopa do Brasil de Futebol Feminino. Desfalcadas, as palestrinas lutaram muito, mas Gabi Portilho, Tamires e Jaqueline selaram a classificação alvinegra. Agora, o Corinthians tem o Real Brasília pela frente no caminho até a decisão.


O JOGO


O Palmeiras teve a primeira grande chance da partida. Logo aos dois minutos, as palestrinas levantaram a bola na entrada da área, a lateral Katiuscia subiu de cabeça para interceptar e desviou para trás. Chú tentou se antecipar à goleira Kemelli, mas a zagueira Campiolo chegou na cobertura para impedir a finalização. Foi o lance de maior perigo do Verdão na primeira etapa, que começou equilibrada, mas foi marcada pelo domínio do Corinthians nas ações ofensivas.


Gabi Portilho abriu o placar aos 9 minutos na primeira finalização do jogo. Após cobrança de escanteio de Diany, a zagueira Agustina afastou de cabeça e a bola sobrou no pé da atacante alvinegra, que bateu cruzado e acertou um belo chute rasteiro no canto direito da goleira Jully. O Corinthians continuou pressionando e, aos 33, construiu uma boa troca de passes curtos na meia lua. Gabi Zanotti protegeu e Diany serviu a capitã Tamires, que recebeu livre na esquerda e bateu cruzado no canto esquerdo, também pelo chão, para anotar o segundo.


No segundo tempo, o Timão quase ampliou logo aos três minutos. Gabi Zanotti deixou duas marcadoras para trás e sofreu a falta, mas levou vantagem. Portilho ficou com a sobra e bateu forte para fora.


Nos minutos seguintes, o Palmeiras conseguiu produzir mais e teve seu melhor momento no confronto. Aos seis, Bruna Calderan cruzou para dentro da área, a zaga corinthiana se atrapalhou e a bola sobrou para Camilinha, que bateu por cima do gol. Aos 10, Ary Borges construiu bela jogada, deixou Campiolo para trás e cruzou na medida para Chú, que não conseguiu finalizar.


O Corinthians respondeu aos 21 e, a partir daí, voltou a propor o jogo. Portilho construiu boa jogada e rolou para Adriana, mas a defesa do Palmeiras afastou o perigo. Na sobra, Gabi Zanotti arriscou de longe e, no desvio em Day Silva, a bola raspou a trave de Jully.


Cinco minutos depois, Zanotti recebeu lançamento de Portilho, dominou no peito e parou na grande defesa de Jully. O Timão fechou a conta aos 32. Portilho driblou ainda no campo de defesa e serviu Tamires, que recebeu e carregou pelo meio. A capitã esperou o momento exato para abrir o jogo pela esquerda com Yasmin, que cruzou na medida para Jaqueline cabecear para o fundo da rede e correr para o abraço da Fiel. No último lance do confronto, Byanca Brasil quase descontou para o Verdão em bela cobrança de falta, mas a bola parou na trave.


AS SEMIFINAIS SERÃO NA QUARTA FEIRA (09/02) COM TRANSMISSÃO PELO SPORTV E PELA GLOBO NOVAMENTE.

17 views0 comments

Recent Posts

See All