• Vinicius Temperani

O GRANDE DERBY PAULISTA

Veja como foi o primeiro clássico dos estaduais


O clássico mais tradicional do estado de São Paulo aconteceu e teve de tudo um pouco. Provocações, ausências, chuva, confusão, garotada da base, feito histórico e gols. Afinal, um Corinthians e palmeiras nunca é um jogo qualquer.

O pré-jogo foi marcado por provocações alvinegras nas redes sociais, exibindo um mosaico feito pela torcida fiel, com os dizeres “nunca serão” e os anos dos títulos mundiais de “2000 e 2012”, fazendo referência à participação fraca do Palmeiras no Mundial de Clubes.


O treinador Wagner Mancini, do Corinthians, teve muitas dificuldades para escalar o time ideal para enfrentar o arquirrival. Um surto de covid-19 no elenco tirou 9 jogadores desta e da próxima rodada, por conta dos protocolos da pandemia.

Já pelo lado do Palmeiras, o clube decidiu não comentar ou repercutir as provocações feitas por parte do anfitrião da partida. O time alviverde também teve problemas para montar sua equipe; por disputar o título da Copa do Brasil, o técnico Abel Ferreira poupou os titulares e mandou um time alternativo para campo.

Debaixo de muita chuva e com um gramado castigado, o time alvinegro sofreu dois gols, mas conseguiu o empate. Com gols de Lucas Lima e Gabriel Silva (sendo seu primeiro gol pelo Palmeiras), o time sai de campo livre de um resultado negativo e vai enfrentar o Grêmio, no domingo, sem qualquer pressão extra. Os gols do Corinthians foram de Mateus Vital e Rodrigo Santos.

O jogo também foi marcado por ter a primeira árbitra a conduzir o apito em um jogo envolvendo os dois times. Com uma excelente atuação e elogios por parte da crítica, Edina Alves Batista entra para a história e tem futuro promissor na arbitragem brasileira.

Na sequência do Paulistão, o Corinthians enfrenta a Ponte Preta em casa. O Palmeiras enfrentará o São Caetano no Allianz Parque, ainda pela primeira rodada do estadual.

Recent Posts

See All