• Redação

F2 SPRINT: Jack Doohan da pole a vitória em Budapeste

Jack Doohan garantiu sua segunda vitória na temporada 2022 da Fórmula 2, indo quase inteiramente incontestável da pole para conquistar a vitória na Sprint Race.

Jüri Vips conquistou o segundo lugar no pódio, mas não conseguiu desafiar o piloto da Virtuosi Racing à frente, enquanto Enzo Fittipaldi conseguiu liderar no início, mas caiu para terceiro e garantiu o último lugar no pódio no final.


COMO ACONTECEU

Fittipaldi acelerou seu lançamento de segundo para assumir a liderança nos primeiros metros de Doohan. Um grande travamento na curva 2 desfez seu trabalho duro e permitiu que o piloto da Virtuosi Racing recuperasse a liderança. Vips também escapou no processo e deixou o piloto da Charouz Racing System para afastar Frederik Vesti.


Subindo a colina até a curva 4, Fittipaldi aproveitou a linha de corrida e Vesti teve que pegar a estrada de fuga, caindo para o quinto lugar. Enquanto isso, Dennis Hauger sofreu uma fuga ruim e foi três de largura com Felipe Drugovich e Logan Sargeant. O contato entre a dupla MP Motorsport e Carlin empurrou o americano para Hauger do lado de fora, derrubando o norueguês e fora da corrida na curva 1. Sargeant também estava fora da corrida como resultado do contato, se retirando dos boxes e o Safety Car foi implantado para recuperar o carro PREMA Racing.


A ação recomeçou na volta 4 e Doohan disparou cedo para deixar o resto para trás. Sua liderança foi de 1,7s na linha da próxima vez, bem fora do alcance do DRS com uma volta de corrida concluída. Théo Pourchaire caiu para 16º na primeira volta depois de ter que evitar a briga na curva 1 do lado de fora da curva. Ele despachou Roberto Merhi para o 15º com DRS na volta 8. Duas voltas depois e foi 14º para o francês às custas de David Beckmann, cortesia de uma investida tardia na curva 1.

Jehan Daruvala relatou que seus pneus dianteiros já haviam acabado na volta 11, e a pressão de Marcus Armstrong atrás foi prova disso. O piloto do Hitech Grand Prix se preparou para entrar na curva 1, mas o homem da PREMA fechou a porta para manter o sexto lugar por enquanto.


Na frente, Doohan parecia estar andando bem, mantendo Vips fora do alcance do DRS e lentamente estendendo sua liderança volta após volta por alguns centésimos aqui e ali. Na metade do caminho, a liderança estava em 1,5s, enquanto Fittipaldi permaneceu na faixa de 0,5-0,8s da Hitech volta após volta, mas ainda incapaz de tentar um passe.


Daruvala e Armstrong retomaram sua batalha pelo P6 com o piloto indiano forçado a defender a linha interna nas curvas 1 e 2. Um bloqueio pesado o forçou a largar na T2, mas Armstrong já havia optado pela linha externa e teve que recuar sua tentativa de ultrapassagem. Sua luta permitiu que Lawson e Ayumu Iwasa se juntassem ao grupo e lutassem pelo sexto lugar.


Pourchaire logo estava em 13º e desejava o P12 de Calan Williams. O piloto da ART Grand Prix apertou o Trident na entrada da curva 2, mas o australiano manteve o pé e fechou a porta na curva 3 para manter o lugar com uma forte exibição defensiva.


Armstrong tentou pela terceira vez em Daruvala na volta 19 e parecia ter feito o movimento na curva 1. Na saída da curva, a dupla fez contato da direita para a frente esquerda, mandando o neozelandês para fora da pista e caindo para P8. Daruvala mais tarde recebeu uma penalidade de 10 segundos pelo incidente. Iwasa tentou capitalizar, mas foi espremido na tentativa de ultrapassagem do lado de fora da curva 2 por Armstrong.

Vips reduziu a diferença para o líder para menos de um segundo na volta 22, mas isso foi recebido com uma resposta imediata de Doohan, que fez uma volta quase um segundo mais rápido para restaurar sua margem para o estoniano.


Com Lawson agora atrás de Daruvala, o piloto da Carlin fez seu primeiro movimento valer, voando por dentro na curva 1 para garantir o P6. O PREMA travou tentando fazer a curva e cedeu posição para Armstrong e Iwasa, seus pneus finalmente chorando o suficiente. Ele estava no final da volta para cumprir sua penalidade e trocar os pneus.


Pourchaire não terminou com a Williams e fez um passe oportunista no piloto Trident na curva 12 na volta 23. O ART se afastou de Olli Caldwell com assistência DRS na curva 1, faltando cinco voltas para conquistar o nono lugar.


Mantendo-se longe do drama atrás dele, Doohan conquistou duas vitórias em 2022 em grande estilo, vencendo por mais de cinco segundos de Vips, enquanto Fittipaldi completou o pódio.


Drugovich garantiu ainda mais pontos para reforçar sua vantagem no Campeonato de Pilotos com Vesti em quinto. Lawson, Armstrong e Iwasa foram os pontuadores finais em sexto, sétimo e oitavo lugares, respectivamente.

CITAÇÃO CHAVE – Jack Doohan, Virtuosi Racing

“A forma como gerimos a Sprint Race a partir da pole, recuperando do resultado decepcionante de ontem, pareceu mais do que uma vitória na Sprint Race. No ano passado, fui ruim em gerenciamento no carro de F3, então é bom saber que dei passos à frente – eu e a equipe. Muito feliz, agora vamos coletar dados para amanhã e vamos ver o que podemos fazer com a estratégia.”


A VISÃO DO CAMPEONATO

O quarto lugar de Felipe Drugovich na Sprint Race dá-lhe mais cinco pontos para adicionar à sua contagem do Campeonato. Sua vantagem agora é de 44 pontos sobre Théo Pourchaire, que junto com Logan Sargeant, não conseguiu somar seus pontos totais. Jehan Daruvala continua em quarto com seus 94 pontos, enquanto a vitória de Jack Doohan o coloca em quinto na classificação, agora com 88 pontos.


A classificação das equipes permanece a mesma no domingo no Hungaroring. ART Grand Prix lidera da MP Motorsport e Carlin. A seleção francesa está agora com 213 pontos contra 204 do MP. Carlin avança para 200 pontos.


QUAL É O PRÓXIMO?

A corrida final antes das férias de verão acontece no domingo em Budapeste. Ayumu Iwasa começa a Feature Race da pole com Marcus Armstrong como companhia na primeira fila. A corrida está marcada para começar às 06h35, horário de brasília.

4 views0 comments