• Redação

FIM DO SONHO

EM NOITE DRAMÁTICA, BRASIL CAI DIANTE DO CANADÁ E DÁ ADEUS ÀS OLIMPÍADAS

Marta bem que tentou, mas não conseguiu brilhar na partida.

Raramente, ou nunca, o Torneio Olímpico de Futebol Feminino produziu tanto drama em uma única rodada. Resumidamente, parecia que haveria um novo vencedor da medalha de ouro com os EUA atrás da Holanda, antes que os campeões mundiais se recuperassem para vencer nos pênaltis.


O Canadá também avançou com uma vitória tensa nos pênaltis para preparar uma semifinal norte-americana. A Austrália recuperou de desvantagem para derrotar a Grã-Bretanha em um clássico instantâneo, enquanto o anfitrião Japão se despediu após ser derrotado pela Suécia.


RESULTADOS


Canadá 0-0 (4-3 nos pênaltis) Brasil

A resiliência do Canadá é lendária e esteve mais uma vez em exibição em Miyagi quando os Canucks resistiram ao que tem sido um Brasil galopante durante a fase de grupos. Em uma partida de poucas oportunidades de gols genuínas, o Brasil parecia mais perigoso no ataque, mas foi a zagueira canadense Vanessa Gilles quem cabeceou contra a barra no segundo tempo. O Canadá ficou para trás durante os pênaltis, mas a goleira Stephanie Labbe fez duas excelentes defesas no final da disputa de pênaltis, levando seu time à terceira semifinal consecutiva.


Grã-Bretanha 3-4 Austrália

Esta foi uma partida certamente destinada a ser considerada uma das mais memoráveis ​​da história do futebol olímpico feminino. A Austrália recuperou de uma desvantagem de 2 a 1 com um gol no último minuto para enviar a partida para a prorrogação em uma disputa de gangorra que teve gols espetaculares, pênaltis e entretenimento sem fim. Ellen White conquistou a tripla, mas de alguma forma ainda estava do lado perdedor, já que Sam Kerr fez uma rebatida dupla e a adolescente australiana Mary Fowler destacou seu status de prodígio com um gol crucial.


Suécia 3-1 Japão

A Suécia provou ser muito forte, rápida e atlética para o Japão no final, embora os anfitriões tenham tido bastante posse de bola e tenham se recuperado bem depois de ficarem para trás em uma partida empolgante dos suecos. Os estágios finais viram a experiência de Caroline Seger vir à tona quando ela recuou para ajudar a formar quase uma segunda linha de defesa, que os japoneses nunca pareciam violar depois de cair por 3-1. Os suecos voltaram a ter três marcadores diferentes, mas o seu poder de fogo continua a revelar-se impressionante.


Holanda 2-2 (2-4 nos pênaltis) EUA

A capacidade dos EUA de encontrar uma dose de reserva ficou mais uma vez à mostra, com os campeões mundiais saindo de trás para uma vitória nos pênaltis. A holandesa em boa forma parecia mais do que capaz de anular o resultado da final da Copa do Mundo Feminina da FIFA 2019, mas Alyssa Naeher garantiu que não seria assim. A imperiosa Vivianne Miedema marcou mais dois gols, mas Naeher salvou um pênalti nos minutos finais do tempo normal e fez isso duas vezes no desempate, quando o Stars and Stripes expulsou os demônios das quartas-de-final do Rio 2016.


A CITAÇÃO

“Eu não sei, eu não posso te dar essa resposta agora, há tanta coisa passando pela minha cabeça. Estou muito emocionado. Só peço às pessoas que não apontem o dedo para ninguém. Se você tiver que apontar o dedo para alguém, aponte para mim - estou acostumado com isso.”

A superestrela do Brasil Marta quando questionada sobre seu futuro no Brasil

0 views0 comments

Recent Posts

See All