• Renan Correa Leandro

AS QUARTAS DE FINAIS INESPERADAS

Finalmente começou a emoção de verdade!


Os jogos de ida das quartas de final do Campeonato Catarinense começaram tendo de tudo (a volta será nessa quarta-feira e os times que jogam em casa terão a vantagem de jogar pelos chamados “resultados iguais”).

O equilíbrio foi visto em todos os jogos (inclusive no jogo entre a favorita Chapecoense e o surpreendente Hercílio Luz). Apenas preciso abrir um parêntese para a pancadaria que ocorreu ao término do jogo Próspera x Avaí. É impossível elogiar o que houve e aqui deixo claro que um dos responsáveis pela confusão foi o árbitro Diego da Costa Cidral, que deveria ter expulsado o jogador Bruno Silva (Avaí) no lance que antecedeu o gol do Leão (que ocorreu no último lance do jogo). O gol no último lance, após o lance polêmico revoltou os jogadores do time do sul, somando-se à desnecessária provocação do zagueiro Alemão (Avaí) ao técnico Paulo Baier, chamando o Próspera de “timinho”, logo após o gol. Por isso, vejo que a briga generalizada foi apenas uma consequência que terá responsabilizados de ambos os lados (vou relatar as expulsões no texto do jogo).


Ficou ruim para o campeonato, mas para mim foi mais uma mancha negra que deflagra o nível pífio da arbitragem catarinense e pode custar para o Próspera a classificação para a série D de 2022 (que será dada aos 3 melhores na classificação entre Marcílio Dias, Juventus, Joinville, Hercílio Luz e Próspera). Dito isso, vamos ao resumo dos jogos!

Alguém deu corda no JEC! Desconsidere o empate. Foi o melhor jogo, tecnicamente falando, do Joinville no campeonato. O time que mandou embora Vinícius Eutrópio e foi comandado pelo interino Elizeu Ferreira, e tomou uma injeção de ânimo. O time começou bem, pressionando o Brusque, com Thiago Santos abrindo o placar para o Tricolor logo aos 5 minutos, e mais tarde foi substituído por lesão. Aos poucos, o Quadricolor foi equilibrando as ações até conseguir o empate com Thiago Alagoano aos 29 (com colaboração do goleiro Fabian Volpi). O Joinville voltou a ficar à frente no placar com uma boa trama que culminou no pênalti convertido por Alisson Mira (que entrou no lugar de Thiago Santos), aos 39. No segundo tempo, o Brusque dominou e o Joinville apostou de forma arriscada nos contra-ataques, decisão essa que levou ao castigo aos 46 do segundo tempo com Bruno Mota em cabeçada certeira (após nova colaboração de Fabian Volpi que rebateu para o meio da área). Joinville 2 x 2 Brusque.

Hercílio Luz é a pedrinha no sapato da Chape. Em dois jogos realizados neste Catarinense, a Chape não venceu e não marcou nenhum gol em cima do Hercílio Luz. O Leão do Sul não fez um bom primeiro tempo, mas conseguiu segurar o Verdão do Oeste. No segundo tempo foi lá e cá. Em uma ótima tarde do excelente arqueiro Otávio (Hercílio Luz), a Chapecoense perdeu vários gols, no entanto, o time de Tubarão também teve ótimas oportunidades e poderia ter tido melhor sorte no placar. Embora a vantagem seja da Chape, no jogo da volta o Hercílio Luz vai embalado com a possibilidade de voltar a vencer na Arena Condá e eliminar o favorito. Essa possibilidade atrai muitos olhares para este jogo na quarta. Hercílio Luz 0 x 0 Chapecoense.

De calcanhar David Batista? Uma pintura! O gol de David Batista de calcanhar foi o mais belo da rodada e um dos mais bonitos do Campeonato. Aos 19 minutos do primeiro tempo após bela jogada de Franklin, o camisa 10 do Marcilio usou o recurso para de costas tocar no canto direito do goleiro do Juventus. Depois, o Juventus se lançou ao ataque e teve 3 ótimas oportunidades, mas o goleiro Victor Golas (que substituiu o titular Belliato) fez defesas incríveis e foi o melhor homem em campo. No jogo da volta, o Moleque Travesso jogará em casa e precisará se lançar ao ataque para reverter o placar. No entanto, neste jogo ficou claro que a defesa do Juventus não está se entendendo e se o Marinheiro tiver paciência, poderá manter a vantagem.

Marcílio Dias 1 x 0 Juventus.

O jogo da confusão! Já falamos muito da confusão no fim do jogo, mas aqui vamos focar em campo e bola, que é o que realmente interessa. Durante todo o jogo, o time do Próspera, que entrou com o esquema 4-3-3 que poderia sugerir um time que jogue para frente, jogou muito em seu campo de defesa. O Avaí foi totalmente superior em todos os 90 minutos. Edilson foi uma arma importante para o Leão da Ilha, mas a falta de capricho de Getúlio, Junior Dutra e Lourenço para finalizar dificultaram as coisas. O goleiro Roberto e a defesa do Próspera também faziam uma ótima partida. No entanto, se existe justiça no futebol, ela foi feita no último lance do jogo com o gol de Jonathan, que após receber passe de uma cobrança de lateral e bater rasteiro no canto direito de Roberto, aos 50 do segundo tempo. Depois disso, o jogo acabou, a confusão esquentou e no total foram 6 expulsões depois do apito final. São eles: Lastra, Sueliton, Eduardo e o técnico Paulo Baier pelo Próspera, além de Getúlio e Wesley Soares pelo Avaí. Próspera 0 x 1 Avaí.


Minha Seleção da rodada (Esquema 4-4-2)

CONFIRA O CHAVEAMENTO


ESTÁ MATERIA É UM OFERENCIMENTO



Recent Posts

See All