• Vranlei Correa

GUIA DA UEFA CHAMPIONS LEAGUE

A PARTIR DO DIA 14 DE SETEMBRO, AS TARDES NÃO SERÃO MAIS AS MESMAS PARA QUEM É APAIXONADO PELO FUTEBOL EUROPEU.

A taça mais cobiçada da Europa. (Foto: Divulgação/@uefachampionsleague)

Segundo as culturas de vários países, setembro é um mês de renascimento, de renovar as esperanças no que há por vir. Também marca o início da primavera, da volta do sol e dos campos floridos, após um agosto tenebroso e chuvoso. No futebol, este mês marca o início da principal competição de clubes do planeta, a Liga dos Campeões da Uefa.


A partir dos dias 14 e 15 de setembro, os fãs de futebol terão a oportunidade de desfrutar do que há de melhor nos gramados europeus. É também uma das primeiras oportunidades de peso para ver como Messi e Cristiano Ronaldo estarão se saindo em seus novos clubes, assim como o desenho que os técnicos escolheram para os seus esquemas táticos. Motivos não faltam para grudar os olhos na tela.


A final está marcada para o dia 28 de maio de 2022. Quem terá bala na agulha para chegar nessa data à Gazprom Arena, em São Petersburgo?


GRUPO A - A Obsessão dos Magnatas

Com donos bilionários bancando os clubes, resta saber qual projeto chegará mais longe.


MANCHESTER CITY

Manchester, Inglaterra


Participações: 12

Melhor campanha: Vice-campeão (2021)

Temporada passada: Vice-campeão

Estádio: Etihad Stadium (55.017 lugares)

Técnico: Josep Guardiola - ESP

Principais chegadas: J. Grealish (A. Villa) / Kayky (Fluminense)

Principais saídas: S. Agüero (Barcelona) / E. García (Barcelona) / L. Nmecha (Wolfsburg) / J. Harrison (Leeds)


O sonho dourado da conquista escapou por detalhes na temporada passada. Para não sofrer com a falta de efetividade no ataque de novo, os Citiziens investiram muito dinheiro para contratar Jack Grealish, do Aston Villa. Os torcedores esperam que a taça não escape dessa vez.


Esquema base: 4-3-3

Ponto Forte: Posse de bola. Uma das características mais marcantes dos times de Pep Guardiola é o controle absoluto da bola, rodando ela de um lado ao outro, até surgir a oportunidade perfeita para concretizar ao gol.


Ponto Fraco: Recomposição defensiva. Por vezes, o time é pego de "calças curtas", sofrendo muito contra times que possuem um excelente contra-ataque em seu portfólio.


Esse é o cara: Kevin De Bruyne. Com sua visão apurada, passes certeiros e um bom chute de fora da área, o belga comanda as ações do meio-campo azul.


Olho nele: Após ser um dos destaques da Inglaterra na Euro 2020, Jack Grealish chega para ser o dono da ponta esquerda do time. Veremos se o novo camisa 10 cumprirá todas as expectativas em torno dele.


Palpite: É um dos favoritos ao título e deve passar sem sustos pela fase de grupos, definindo contra o PSG quem deve ser o primeiro da tabela. Resta saber se confirmará o seu favoritismo nos mata-matas.


PARIS SAINT-GERMAIN

Paris, França


Participações: 15

Melhor campanha: Vice-campeão (2020)

Temporada passada: Semifinal

Estádio: Parc des Princes (49.691 lugares)

Técnico: Mauricio Pochettino - ARG

Principais chegadas: L. Messi (Barcelona) / S. Ramos (R. Madrid) / A. Hakimi (Inter) / G. Wijnaldum (Liverpool) / N. Mendes (Sporting) / G. Donnarumma (Milan)

Principais saídas: M. Bakker (Leverkusen) / A. Areola (West Ham)


A nova "era dos galácticos" está de endereço novo, e se encontra em Paris, na França. Em um verão bem movimentado e sem gastar quase nada, os parisienses trouxeram Messi, Donnarumma, Sérgio Ramos e Wijnaldum. Os torcedores estão ansiosos para verem o que este time estelar pode conquistar.


Esquema base: 4-3-3.

Ponto forte: Ataque. É o setor que conta com os nomes mais badalados do clube, como Mbappé, Neymar, Icardi, Di María e agora Lionel Messi. Pode esperar muitos gols vindos dessa turma.


Ponto fraco: Laterais. É o calcanhar de Aquiles há tempos na defesa parisiense. Nesta temporada, as apostas caem em Nuno Mendes e Hakimi para serem os donos da posição.


Esse é o cara: Marquinhos. Entre os tantos nomes badalados da equipe, o zagueiro brasileiro é o capitão e pilar do sistema defensivo francês. Vai para mais uma temporada sendo considerado um dos melhores do mundo.


Olho nele: Após defender apenas uma camisa durante a maior parte da carreira, todos vão querer acompanhar os passos de Lionel Messi em seu novo clube. O craque argentino tem a responsabilidade de liderar a equipe em busca da sua primeira conquista.


Palpite: É um dos superfavoritos à conquistar a taça. Deve passar sem sustos pela fase de grupos e ser uma figurinha carimbada nas fases mais agudas da competição.


RB LEIPZIG

Leipzig, Alemanha


Participações: 4

Melhor campanha: Semifinal (2020)

Temporada passada: Oitavas de final

Estádio: Red Bull Arena (42.146 lugares)

Técnico: Jesse Marsch - EUA

Principais chegadas: André Silva (Frankfurt) / J. Gvardiol (D. Zagreb) / M. Simakan (Strasbourg)

Principais saídas: D. Upamecano (Bayern) / M. Sabitzer (Bayern) / I. Konaté (Liverpool) / A. Lookman (Leicester)


Esta será uma temporada de renovação para os Touros Vermelhos. Depois de algumas temporadas de destaque, o time principal perdeu jogadores importantes e precisará de tempo para que as novas estrelas consigam se encaixar e render frutos.

Esquema base: 4-2-3-1

Ponto forte: Chutes de longa distância. A equipe possui jogadores que tem um chute calibrado e potente. Então, não se surpreenda quando um espaço se abrir e alguém experimentar a segurança do goleiro adversário.


Ponto fraco: Defesa Central. Com a saída da dupla de zagueiros titular, a equipe alemã têm sofrido muitos gols nesse começo de temporada, seja por baixo ou por bola aérea. É o setor mais crítico do time.


Esse é o cara: Emil Forsberg é o dono do meio-campo dos Touros Vermelhos. O camisa 10 sueco tem liberdade para se movimentar e de vez em quando deixa os seus gols.


Olho nele: Dominik Szoboszlai é a grande aposta para ser o grande craque do time no futuro. Chegou na temporada passada, mas foi atrapalhado por lesões. Agora o húngaro terá a chance de provar o seu talento desde o início da temporada.


Palpite: A concorrência para ir à próxima fase da competição é desleal demais, tamanha a disparidade dos elencos. Deve brigar com o Brugge pelo 3° lugar, que vai à Liga Europa.


CLUB BRUGGE KV

Brugge, Bélgica


Participações: 16

Melhor campanha: Vice-campeão (1978)

Temporada passada: Fase de grupos

Estádio: Jan-Breydel-Stadion (29.062 lugares)

Técnico: Philippe Clement - BEL

Principais chegadas: K. Sowah (Leicester) / S. Nsoki (Nice) / N. Lang (Ajax) / Wesley (A. Villa) / F. Maouassa (Rennes)

Principais saídas: O. Kossounou (Leverkusen) / E. Dennis (Watford) / E. Horvath (N. Forest)


O campeão belga vem a mais uma edição de Champions para ser coadjuvante. O clube esperava um sorteio mais favorável, porém, a torcida deve fazer muita festa ao receber jogadores do calibre de Messi e De Bruyne em seu estádio.


Esquema base: 5-3-2

Ponto forte: Velocidade. A equipe belga é muito veloz nas suas transições ofensivas, por vezes usando dos lançamentos longos para os pontas ganharem na corrida dos adversários e saírem na cara do gol.


Ponto fraco: Bola aérea. O time sofre muito quando os adversários usam dos cruzamentos para chegar à sua meta. O time não dispõe de bons cabeceadores defensivos.


Esse é o cara: O holandês Ruud Vormer é quem comanda as ações no meio-campo belga. No clube desde 2014, o capitão é o motorzinho da equipe, ajudando tanto na defesa, destruindo as jogadas, quanto no ataque, marcando os seus gols.


Olho nele: N. Lang veio na temporada por empréstimo e se saiu muito bem, tanto que os belgas exerceram a sua compra junto ao Ajax. Nesta temporada, vem apresentando um bom desempenho, com 4 gols marcados.


Palpite: Deu o azar de cair no grupo com dois candidatos diretos à conquista da taça e um time bastante encardido. Deve brigar com o RB Leipzig pela vaga à Liga Europa.


GRUPO B - O peso da história

No "grupo da morte", teremos a certeza que um gigante ficará pelo caminho.


ATLÉTICO DE MADRID

Madrid, Espanha


Participações: 17

Melhor campanha: Vice-campeão (1974 - 2014 - 2016)

Temporada passada: Oitavas de final

Estádio: Wanda Metropolitano (68.456 lugares)

Técnico: Diego Simeone - ARG

Principais chegadas: R. de Paul (Udinese) / M. Cunha (H. Berlim) / A. Griezmann (Barcelona) / B. Lecomte (Mônaco)

Principais saídas: Saúl (Chelsea) / N. Ibáñez (Pachuca) / F. Montero (Besiktas)


O atual campeão espanhol vem mais reforçado do que nunca em busca da sua primeira taça. Depois de um verão movimentado, Diego Simeone tem à sua disposição jogadores de qualidade para incorporar o seu novo esquema e buscar o domínio europeu.


Esquema base: 3-5-2

Ponto forte: Alas. No novo esquema de Diego Simeone, os alas tem participação fundamental para a criação das principais chances da equipe, seja com jogadas de linha de fundo, ou com infiltrações.


Ponto fraco: Defesa. O que antes era a fortaleza do time, hoje não trás tanta segurança assim. Os Colchoneros vem sofrendo muito para encontrar a consistência defensiva e evitar os gols bobos que vem tomando.


Esse é o cara: Jan Oblak é um dos melhores goleiros do mundo e ninguém tem dúvidas disso. O esloveno está no auge da forma e continua operando seus milagres para salvar à meta Colchonera.


Olho nele: Num movimento surpreendente de mercado, a diretoria conseguiu trazer Antoine Griezmann de volta ao clube, menos de dois anos depois da sua saída para o Barcelona. Será se o atacante francês reencontrará o seu bom futebol, aquele que o fez um dos melhores do mundo?


Palpite: O atual campeão espanhol tem um leve favoritismo perante os seus concorrentes de grupo para ficar com a vaga na próxima fase, por dispor de mais opções no elenco, o que pode decidir as partidas duras que terá pela frente. Nos mata-matas, se tiver um caminho acessível, pode beliscar uma vaga nas semifinais.


LIVERPOOL FC

Liverpool, Inglaterra


Participações: 26

Melhor campanha: Campeão (1977 - 1978 - 1981 - 1984 - 2005 - 2019)

Temporada passada: Quartas de final

Estádio: Anfield (54.074 lugares)

Técnico: Jürgen Klopp - ALE

Principais chegadas: I. Konaté (RB Leipzig)

Principais saídas: H. Wilson (Fulham) / X. Shaqiri (Lyon) / M. Grujic (Porto) / G. Wijnaldum (PSG)


Depois do título histórico em 2019, os Reds vem tendo campanhas aquém do seu potencial. Nesta temporada, o clube da terra dos Beatles se reforçou na sua área mais crítica e espera que as lesões não atrapalhem a caminhada do time na competição.

Esquema base: 4-3-3

Ponto forte: Contra-ataque. Dispor de opções como Mané, Salah, Firmino e Jota, e sendo bem municiados por Alexander-Arnold e Robertson, os Reds possuem uma transição ofensiva muito rápida, que por vezes garantem muitas chances criadas e gols para a equipe.


Ponto fraco: Defesa Central. Tá certo que ter Virgil van Dijk na defesa trás segurança, mas o grande problema é encontrar um parceiro ideal para o holandês. Dos jogadores que fazem parceria com ele, o menos ruim é Joe Gómez, mas ele está lesionado. Caberá a J. Matip segurar a bronca.


Esse é o cara: Moh Salah é a grande estrela da companhia. O ponta egípcio é um daqueles jogadores chatos, que inferniza a defesa, não desiste das jogadas, é muito veloz e tem uma canhota letal.


Olho nele: A grande contratação da janela veio justamente para resolver o problema na defesa. Porém, vai demorar um pouco para o torcedor ver Ibrahim Konaté no time titular.


Palpite: O gigante inglês deve brigar ponto a ponto com o Atlético de Madrid pelo primeiro lugar do grupo. A partir dos mata-matas, se dispor do time titular saudável, deve ser osso duro de roer e pode beliscar até uma semifinal.


FC PORTO

Porto, Portugal


Participações: 34

Melhor campanha: Campeão (1987 - 2004)

Temporada passada: Quartas de final

Estádio: Estádio do Dragão (50.399 lugares)

Técnico: Sérgio Conceição - POR

Principais chegadas: M. Grujic (Liverpool) / Pepê (Grêmio) / Wendell (Leverkusen)

Principais saídas: M. Marega (Al Hilal) / C. Awaziem (Boavista)


O clube português vinha a passos largos para uma campanha histórica na temporada passada, pena que o futuro campeão Chelsea atravessou o seu caminho. Nesta temporada, os Dragões confiam no talento dos sul-americanos fazerem novamente uma boa campanha.

Esquema base: 4-4-2

Ponto forte: Pressão constante. Os portugueses sobem muitos as suas linhas e sufocam os seus adversários, e quase sempre conseguem roubar a bola no campo ofensivo, ocasionando em muitas chances de gol.


Ponto fraco: Recomposição defensiva. Por vezes, o time todo sobe para pressionar, sem fazer a cobertura corretamente, deixando a linha defensiva exposta.


Esse é o cara: Otávio tem sido o pilar do meio-campo português. O brasileiro alia técnica, bom passe e um bom chute de fora da área, além de ser um dos donos da bola parada do time.


Olho nele: A nova aposta do clube português é o brasileiro Pepê, recém contratado do Grêmio. O jogador veio para disputar posição com o colombiano Díaz.


Palpite: O clube português tem um estilo de jogo bastante agressivo e, contra clubes do porte de Liverpool, Atlético de Madrid e Milan, isso pode ser fatal. Deve brigar ponto a ponto com os italianos pela vaga na Liga Europa.


AC MILAN

Milão, Itália


Participações: 29

Melhor campanha: Campeão (1963 - 1969 - 1989 - 1990 - 1994 - 2003 - 2007)

Temporada passada: Não participou

Estádio: Giuseppe Meazza (75.923 lugares)

Técnico: Stefano Pioli - ITA

Principais chegadas: M. Maignan (Lille) / O. Giroud (Chelsea) / F. Tomori (Chelsea) / J. Messias (Crotone) / T. Bakayoko (Chelsea) / B. Díaz (R. Madrid)

Principais saídas: D. Laxalt (D. Moscow) / G. Donnarumma (PSG) / H. Çalhanoglu (Inter) / M. Caldara (Venezia)


Depois de um longo tempo de espera, o Milan está de volta à Liga dos Campeões. Este é mais uma etapa que o Diavolo terá que enfrentar para retomar aos tempos de glória. E o sorteio não foi nada agradável com os italianos, colocando-os no "grupo da morte". Esta será uma experiência fundamental para os jovens jogadores.

Esquema base: 4-2-3-1

Ponto forte: Pontas. No esquema de Pioli, parte do jogo passa pela transição em velocidade dos pontas Rafael Leão e Saelemaekers, que recebem a bola com campo aberto e partem pra cima dos adversários.


Ponto fraco: Criação de jogadas. O Milan tem muitas dificuldades de criar oportunidades contra times bem fechados defensivamente. A aposta do clube para mudar essa situação está em Brahim Díaz, vindo do Real Madrid.


Esse é o cara: Rafael Leão vem crescendo muito de produção com a camisa do Diavolo. Desde 2019 no clube, foi um dos responsáveis por trazer o clube de volta à Champions League.


Olho nele: O seu desempenho na temporada passada valeu o investimento do clube para manter a sua permanência. Agora vestindo a camisa 10, Brahim Díaz terá que jogar como nunca para os italianos terem chance de passar à próxima fase.


Palpite: Depois de 7 anos afastado da principal competição europeia, o Milan deu azar de cair no grupo da morte. Deve lutar com todas as suas forças para tentar buscar uma vaga na Liga Europa.


GRUPO C - Equilíbrio de forças

Com leve favoritismo para o Borussia Dortmund, a briga deve ficar mesmo para a segunda vaga.


SPORTING CP

Lisboa, Portugal


Participações: 18

Melhor campanha: Quartas de final (1983)

Temporada passada: Não participou

Estádio: José Alvalade XXI (50.080 lugares)

Técnico: Rúben Amorim - POR

Principais chegadas: P. Sarabia (PSG) / R. Vinagre (Wolves) / R. Esgaio (Braga) / M. Ugarte (Famalicão)

Principais saídas: N. Mendes (PSG) / L. Maximiano (Granada) / J. Misic (D. Zagreb)


O atual campeão português retorna à principal competição europeia depois de 4 temporadas, e espera fazer bonito na competição. O sorteio foi bem favorável e, se tudo ocorrer dentro do esperado, deverão assegurar a vaga à próxima fase.

Esquema base: 3-4-2-1

Ponto forte: Velocidade. O Leões exploram bem a velocidade dos seus alas e a movimentação do seu trio de ataque. As principais chances vem de jogadas rápidas de contra-ataque.


Ponto fraco: Saída de bola. Por vezes, o trio de zagueiros se complica na saída de bola, forçando passes e entregando o ouro. Se enfrentarem times com pressão alta, podem colocar a equipe em apuros.


Esse é o cara: Coates é o pilar do sistema defensivo leonino. O zagueiro uruguaio é excelente no jogo aéreo e transmite a segurança necessária para a equipe.


Olho nele: Jovane Cabral foi uma das gratas surpresas que apareceram no elenco campeão da temporada passada. O ponta esquerda é rápido, driblador e conta com uma boa finalização.


Palpite: Os portugueses vem empolgados após a conquista histórica do campeonato nacional na temporada passada. E agora com a volta do público, a euforia aumenta e se jogarem tudo que sabem, são candidatos à segunda vaga do grupo.


BORUSSIA DORTMUND

Dortmund, Alemanha


Participações: 19

Melhor campanha: Campeão (1997)

Temporada passada: Quartas de final

Estádio: Signal Iduna Park (81.365 lugares)

Técnico: Marco Rose - ALE

Principais chegadas: D. Malen (PSV) / G. Kobel (Stuttgart) / M. Pongracic (Wolfsburg)

Principais saídas: J. Sancho (M. United) / T. Delaney (Sevilla) / L. Balerdi (O. Marselha)


A campanha na temporada passada começou cheio de expectativas, foi bem turbulenta e terminou de maneira melancólica, com a derrota nas quartas de final para o Manchester City. Nesta temporada, a equipe passa por uma evidente reestruturação, e confia no talento de Erling Haaland para ir longe na competição.

Esquema base: 4-3-1-2

Ponto forte: Ataque. A dupla formada por Erling Haaland e Marco Reus tem rendido bons frutos para os Aurinegros. A chegada de Malen promete elevar o patamar do ataque da equipe.


Ponto fraco: Defesa. Os alemães sempre sofreram com a sua linha defensiva e com um goleiro que não inspira confiança. Neste início de temporada, a equipe vem tomando gols além da conta. É um dos pontos críticos que Marco Rose terá que solucionar.


Esse é o cara: Desde que chegou ao Signal Iduna Park, os torcedores já sabiam o que esperar de Erling Haaland. E o norueguês não tem decepcionado, marcando gols a rodo. É titular incontestável da equipe.


Olho nele: Donyell Malen chegou para ser o parceiro ideal de Haaland no ataque. O atacante holandês alia velocidade, boa movimentação e um chute potente. Ainda não marcou gol nesta temporada.


Palpite: É o grande favorito do grupo, e deve passar com sobras. Na próxima fase, dependerá de um sorteio favorável para conseguir seguir adiante na competição. Pode beliscar uma quartas-de-final.


AJAX AMSTERDÃ

Amsterdã, Países Baixos


Participações: 32

Melhor campanha: Campeão (1971 - 1972 - 1973 - 1995)

Temporada passada: Fase d