• Renan Correa Leandro

Um dia triste para o mundo do futebol

Neste último domingo (24), o mundo do futebol parou novamente para recordar o quão frágil é a vida humana. Parte da delegação do Palmas F.C dirigia-se ao confronto das oitavas de final da Copa Verde contra o Vila Nova/GO quando tentou uma decolagem e caiu na pista da Associação Tocantinense de Aviação. Imagens amadoras mostram o modelo bimotor Beechcraft 95-B55 Baron, de matrícula PT-LYG, em chamas.


A bordo estavam quatro jogadores do Palmas F.C, seu presidente e o piloto. O mundo do futebol foi novamente abalado pela tragédia (após o acidente aéreo com a Chapecoense em 2016). Rapidamente, a notícia se espalhou pela internet e diversas hashtags de apoio ao clube tocantinense foram levantadas. Contas oficiais de clubes tiveram suas fotos de perfil alteradas com o escudo do Palmas em preto relevo. Um minuto de silêncio foi respeitado em todos os jogos do Campeonato Brasileiro.


Se pararmos para pensar, quantos voos mundo afora são realizados todos os dias com atletas desse esporte no mundo todo e todos os dias? Tragédias como essa podem ocorrer a qualquer momento, mostrando o quão frágil é a vida humana. No entanto, é necessário que o mundo do futebol viva o luto do momento, mas realize uma reflexão sobre o que levou a perdermos de forma tão trágica essas vidas que faziam parte do cotidiano de uma cidade.


Perguntas ainda estão sem resposta e vamos esperar das autoridades competentes uma satisfação das causas deste acidente. Ele poderia ter sido evitado? Por que não utilizar a aviação comercial e utilizar um bimotor? Quais as condições em que aquela logística fora definida? Certamente, o clube, as famílias enlutadas, profissionais, atletas, todos que vivem do futebol precisam saber o que houve. A vida humana vale muito e somente quando esta for preservada, poderemos ver com tranquilidade o futebol como somente mais um entretenimento.


Veja as vidas que perdemos e por eles vão nossas orações e nossas homenagens:


Guilherme Afonso Noé (Guilherme Noé), 28 anos:

Passou por muitos clubes do futebol com destaques para o Internacional em 2012, Tombense (2014/2015) e São Bernardo (2017/2018) e Ipatinga (2019). Antes de defender o Palmas, o jogador estava no Democrata-GV. Este ano, fez apenas 3 jogos sem marcar gols. Jogava de volante e meia central.


Ranule Gomes dos Reis (Ranule), 27 anos:

O jogador rodou por muitos clubes do futebol com destaques para o Villa Nova/MG (2016), Tupi (2018) e Resende (2019/2020). Antes de defender o Palmas, o jogador estava no Sampaio Corrêa/RJ. Este ano ainda não havia entrado em campo. Era goleiro.


Lucas Praxedes Carvalho (Lucas Praxedes), 23 anos:

O jovem havia acertado sua transferência para o Palmas há 12 dias e desde 2016 defendeu 9 equipes dentre as quais citamos o Marcílio Dias/SC (2018), o Marília (2019) e o Botafogo/PB (2020). Antes de defender o Palmas, o jogador estava no XV de Jaú. Este ano ainda não havia entrado em campo. Era lateral esquerdo.


Marcus Vinicius (Marcus Vinicius Molinari Reis), 23 anos:

O jovem jogador é filho do Centroavante Marinho que defendeu o Atlético Mineiro entre 2006 e 2008 com 55 jogos e 24 gols. O jovem estava em busca de uma oportunidade mais sólida na carreira e estava na expectativa de seu primeiro jogo pelo Palmas. Antes disso, havia rodado por Villa Nova/MG (2015/2017), Tupi (2019), Ipatinga (2020) e Tupynambás (2020) onde fez 10 jogos e marcou um gol. Era meia.


Lucas Meira (Presidente do Palmas F.C), 32 anos:

Natural de Goiânia, era morador da cidade de Palmas desde 2007 e tinha como profissão empresário. Tinha uma vida ativa também na política da cidade, onde era filiado ao DEM e chegou a se candidatar à vice-prefeito, mas desistiu na sequência. Segundo apurou a reportagem do G1.com o avião em que estavam pertencia a ele e estava em processo de transferência para o seu nome.


Comandante Wagner:

Até o fechamento dessa coluna, ainda não temos informações sobre o Comandante Wagner.

17 views0 comments

Recent Posts

See All