• Redação

MUITAS AÇÕES E POLÊMICAS NO GP DA HUNGRIA

TUDO COMEÇOU COM UM BELO STRIKE DO BOTTAS E UMA RELARGADA COM UM CARRO SOMENTE.

Esteban Ocon, da Alpine, conquistou sua primeira vitória na Fórmula 1 naquele que foi sem dúvida um dos Grandes Prêmios da Hungria mais emocionantes de todos os tempos, à frente de Sebastian Vettel, da Aston Martin - enquanto Lewis Hamilton se recuperou de ter sido o último em um ponto a reivindicar o P3, como Max Verstappen só conseguiu chegar ao 10º lugar após o contato da primeira volta em um acidente que provocou uma bandeira vermelha.


No entanto, houve drama no final do dia após a corrida, pois Vettel foi desclassificado quando os oficiais da corrida não conseguiram extrair a amostra de combustível necessária de seu carro, promovendo Carlos Sainz ao pódio e fazendo o resto do pelotão subir uma posição cada.


Uma partida selvagem e molhada para o Grande Prêmio da Hungria viu cinco pilotos eliminados na primeira volta, com Valtteri Bottas travando e eliminando Lando Norris e Sergio Perez - bem como acertando Verstappen - enquanto Lance Stroll também travou e acertou Charles Leclerc, que girou em torno de Daniel Ricciardo, com Bottas, Perez, Norris, Stroll e Leclerc todos forçados a se retirarem quando a corrida recebeu bandeira vermelha.

O Pole Hamilton havia passado ileso, mas Mercedes avaliou mal as condições da pista no reinício da corrida, mantendo Hamilton fora para a largada permanente em intermediários enquanto todo o resto do campo lutava por médios, Hamilton forçado a fazer boxe uma volta depois e caindo para trás do pacote.


Isso permitiu que Ocon assumisse a liderança que manteria por quase todas as 70 voltas em Hungaroring, evitando os avanços de Vettel ao longo da corrida para conquistar sua primeira vitória na categoria desde 2015, com Vettel garantindo seu segundo P2 da temporada depois de uma boa viagem.


Um retorno fantástico de Hamilton o viu fazer o que era efetivamente um trabalho de corrida de duas paradas para se recuperar de P14 para o terceiro com a bandeira quadriculada, enquanto Verstappen só poderia pegar P10, com os danos da colisão na primeira volta prejudicando sua recuperação e permitindo que Hamilton assumir a liderança na corrida pelo título em direção às férias de verão.


Carlos Sainz manteve o P3 durante grande parte da corrida, mas foi forçado a sucumbir a Hamilton a três voltas do final, ao terminar em quarto pela Ferrari, à frente de Fernando Alonso no P5, coroando um dia incrível para os Alpine.


Pierre Gasly foi o sexto para AlphaTauri, à frente do companheiro de equipe Yuki Tsunoda - enquanto em um dia de histórias comoventes, a Williams conquistou seus primeiros pontos desde o Grande Prêmio da Alemanha de 2019, com Nicholas Latifi tendo uma incrível volta 1 antes de levar P8 à frente de George Russell em P9, com Verstappen completando o pedido, no final de um dos mais épicos Grandes Prêmios da memória recente.


A CITAÇÃO CHAVE

“Que momento. Isso é tão bom. É a primeira vitória desde que o grupo Renault voltou à Fórmula 1. Tivemos alguns momentos difíceis nesta temporada que superamos junto com a equipe, voltamos a um ritmo fantástico em Silverstone e hoje vencemos”.
"O que posso dizer? É fantástico, então parabéns ao Fernando também porque acho que a vitória também é graças a ele pela luta que ele fez, pelo seu trabalho em equipe, tudo isso. Acho que foi um dia fantástico”

Esteban Ocon, Alpine


CONFIRA COMO FICOU A CLASSIFICAÇÃO DE PILOTOS E CONSTRUTORES

A PRÓXIMA ETAPA, SERÁ APÓS A PAUSA...

Depois de toda essa empolgação, é hora da Fórmula 1 ter a suas mini férias do verão, Estaremos de volta para a 12ª rodada, o Grande Prêmio da Bélgica, no icônico circuito Spa-Francorchamps, de 27 a 29 de agosto.

20 views0 comments

Recent Posts

See All