• Bruno Corazza

Palpítômetro da temporada

Estamos há exatos dois meses da abertura do campeonato e sequer os testes de pré-temporada estão perto de se iniciar. Mas que graça teria de levantarmos nossas expectativas e palpites já sabendo como estão os desempenhos reais das equipes e dos pilotos? Então lanço hoje meu palpite para a temporada de 2021. Cobrem-me depois a comparação e façam também as suas apostas nos comentários.


Lanço aqui o meu ranking de desempenho, considerando tanto a força do carro quanto o nível dos pilotos que acho que terão e unindo com algumas informações já à tona sobre todo o circo, como por exemplo, as mudanças sutis no regulamento para esse ano e somente a grande revolução para o ano que vem.



1º - Mercedes

A equipe parou de evoluir o carro de 2020 na metade das provas disputadas na temporada para dedicar-se integralmente no carro de 2021. Com a grande mudança de regulamento adiada, não há porque se esperar que ocorra alguma catástrofe. Independente de quem sejam os seus pilotos (até este momento não notícia sobre a renovação de Hamilton), sua dupla é favoritíssima ao título de pilotos. Construtores então, nem se fala.


2º - Red Bull

Minha esperança na emoção do campeonato está aqui. Segunda força assegurada e com dois pilotos de alto nível, creio que se a equipe já iniciar sem problemas de confiabilidade e necessidade de correções ao longo da temporada, como vem acontecendo nos últimos anos de só mostrar sua grande força no final, tem tudo para incomodar a Mercedes. Em 2018 o duelo Mercedes-Ferrari em alto nível colaborou para que, por exemplo, Bottas não conquistasse nenhuma vitória. Acredito que ao menos para o título de construtores a briga será ferrenha.


AlphaTauri, Alpine F1 , Aston Martin, Ferrari, McLaren: as cinco equipes brigam pelo 3º ao 7º lugar. Mas como aqui eu não fico em cima do muro, aí vai o meu palpite:


3º - Ferrari

Sim, aposto em sua recuperação. Eles têm dinheiro pra isso e já se especula que seu motor está 50hp mais potente, apesar de também dizerem que não é o suficiente para alcançar os concorrentes. Mas com dois excelentes pilotos (mesmo assim eu teria escolhido Ricciardo ao invés de Sainz) que saberão extrair o melhor do carro, farão uma disputa acirrada pelo melhor do resto.


4º - Aston Martin

Uma equipe técnica competente, uma marca grandiosa por trás que escolheu com cuidado sua volta à F1, aliado a um Sebastian Vettel que historicamente anda muito rápido em sua temporada de estreia em novas equipes, a Aston Martin lutará bravamente pelo terceiro posto com a Ferrari. O calcanhar de Aquiles: a limitação de Stroll, que a cada temporada vem evoluindo, mas ainda não mostrou que será um piloto de ponta. Basta lembrar que deixou escapar a vitória em Monza e no Sakhir, por exemplo.


5º - McLaren

A equipe vem numa excelente crescente e conta com dois excelentes pilotos. Porém, a mudança para o motor Mercedes fez com que a equipe mexesse no chassi para adequá-lo, fator determinante para o desempenho em alto nível este ano. Acredito que esta temporada será justamente de adaptação ao novo propulsor, para enfim estarem prontos ao novo regulamento de 2022.


6º - Alpine F1

Oposto à Mclaren, a Alpine mantém um equilibrado carro de 2020, mas peca por um fraco Esteban Ocon e a volta de um Fernando Alonso parado durante dois anos. Com tempos de testes cada vez menores e o histórico mais recente de Michael Schumacher retornar irreconhecivelmente três anos depois de sua aposentadoria, propiciam a constar que a equipe não será tão frequente no topo do grid.


7º - AlphaTauri

O carro cada vez melhor da equipe cada vez mais independente da Red Bull pode vir forte esta temporada. Porém: o carro basicamente é feito para o Gasly, e o estreante Tsunoda terá que mostrar um grande talento para se adaptar rapidamente e ajudar a equipe pelas primeiras colocações; a confiabilidade do motor Honda deixou a desejar em corridas que renderiam bons pontos à equipe, a ponto da possibilidade de ultrapassar a Ferrari pelo 6º lugar em 2020.

8º - Alfa Romeo

A melhora significativa do motor Ferrari aproximará a Alfa Romeo do pelotão intermediário. O que faz a equipe perder desempenho são seus pilotos: Raikkonen com seus mais de 40 anos pode vir a perder sua velocidade e Giovinazzi vem fazendo hora-extra na equipe.


9ª – Haas

Assim como a Alfa Romeo, a Haas melhora seu desempenho. Mas sua dupla de pilotos estreantes, sendo um deles o sujo Mazepin, não será difícil vivenciarmos a nova geração Grosjean-Magnussen.


10º - Williams

A equipe já anunciou que o foco no carro de 2021 será por pouco tempo, querendo iniciar o de 2020 o mais cedo possível. Se não fosse por isso, arriscaria que venceriam a Haas este ano.

Russel ainda continuará a levar a Williams nas costas, vide em 2020 que chegou ao Q2 em 9 das 16 corridas disputadas.



Concorda comigo, leitor?

Comente apoiando, discordando e até opinando o seu ranking de força das equipes. Ao longo da temporada vamos vendo como estamos de prognósticos. Forte abraço!

13 views0 comments

Recent Posts

See All