• Redação

Shell encerra a temporada da Stock Car com pódio de Ricardo Zonta

Galid Osman consegue top10 na corrida 1 e Átila Abreu na corrida 2

Mais uma vez a Shell fechou a temporada da Stock Car como protagonista. O trio da maior patrocinadora do esporte a motor no Brasil e no mundo conquistou top10s em Interlagos, com destaque para Ricardo Zonta terminando a segunda corrida em segundo lugar.

O resultado foi decisivo para impulsionar o paranaense ao quarto lugar no campeonato, apenas três pontos atrás do terceiro colocado.

Átila Abreu também encerrou o campeonato entre os dez principais pontuadores. Ele fechou a temporada em oitavo, com duas vitórias pela estreante equipe Shell V-Power.

Seu companheiro, Galid Osman, foi um dos destaques na etapa final em Interlagos. Largando em quinto na corrida 1, o piloto do Cruze #28 tinha uma estratégia perfeita para a segunda bateria. Mas acabou tocado por outro competidor enquanto liderava e foi forçado a abandonar.


A temporada 2022 da Stock Car terá início no dia 13 de fevereiro, com o retorno da badalada Corrida de Duplas.

A Shell será mais uma vez representada por Ricardo Zonta no Toyota Corolla #10 preparado pela equipe Shell-RCM e pela dupla da equipe Shell V-Power, formada por Átila Abreu e Galid Osman. AS CORRIDAS

Galid foi espremido no S do Senna na largada e acabou cedendo três posições para evitar um acidente. O pelotão se estabilizou, com o #28 em oitavo, Zonta em 18º e Átila em 24º.

Na abertura da volta 5, o safety-car foi acionado.

Na relargada Galid avançou para sétimo. Duas voltas mais tarde, Zonta protagonizava bela disputa com Chris Hahn e Rubens Barrichello.

Os ponteiros abriram a janela de pit-stops obrigatórios, e Galid seguiu na pista. Ele ultrapassou Bruno Baptista no fim da reta e, na volta 9, assumiu a liderança da corrida.

O #28 fez seu serviço de box no giro seguinte. Depois de restabelecido o pelotão com o fim do ciclo de paradas, Galid vinha em décimo, Zonta em 15º e Átila em 20º.

Nos minutos finais o trio da Shell seguiu acelerando forte: Galid subiu para nono, mas acabou ultrapassado na volta final, Zonta avançou para 12º e Átila para 13º.

Com a inversão do grid, Galid garantiu a pole para a segunda bateria.

Ele largou com segurança e sustentou a primeira posição. Zonta passou em oitavo e Átila em 11º.

Mais uma vez foi acionado o safety-car, para resgate de carros acidentados em confusões no S do Senna e no fim da reta oposta. A relargada veio na quarta volta, mais uma vez com o Chevrolet Cruze #28 firme na dianteira.

No Laranjinha outro competidor emparelhou com o piloto Shell, inclusive colocando duas rodas na grama. Os dois rodaram como resultado da tentativa de ultrapassagem. Galid ficou perigosamente com seu carro atravessado na pista, mas felizmente o pelotão passou desviando dele. Zonta subiu para sétimo lugar e Átila para oitavo.

A janela de pit-stops foi aberta. Átila entrou na segunda volta e Zonta seguiu até a volta final, entrando para sua parada em terceiro lugar.

Com um formidável trabalho da equipe Shell-RCM, o paranaense ganhou duas posições nos pits. Ele avançou para segundo lugar quando todos completaram suas paradas. Átila subiu para sexto. E assim eles foram até a bandeirada final. O que eles disseram: “Estávamos entre os cinco primeiros em todas as sessões de treino durante a etapa, o resultado acabou sendo um pouco frustrante, tínhamos carro e achávamos que estaríamos entre os 10 no quali, mas surpreendentemente não consegui sequer avançar ao Q2. Fomos muito conservadores, o pneu nem chegou a desgastar. Mudamos completamente o carro para a corrida, ele era estável, mas sabemos que largar do fundo do pelotão é sempre um risco. Nossa estratégia priorizava pontos nas duas corridas e conseguimos. Foi bom terminar com mais um pódio. Foi um ano difícil, com alguns problemas de estratégia, deixamos escapar pontos importantes por classificações ruins e esses pontos me complicaram no campeonato. Apesar disso, terminamos o ano entre os primeiro e isso é importante pelo trabalho bem-feito de todos da equipe. Objetivo é voltar forte em 2022 para poder brigar pelo título novamente.” Ricardo Zonta “Realmente esquentou muito aqui em Interlagos hoje, foi a primeira vez que meu pé queimou por causa do calor nas duas corridas. Desde o começo estava com muita dor, mas me mantive na disputa. Trocamos muitas coisas de ontem pra hoje, inclusive o motor. Mas, nossa principal dificuldade ainda tem sido conseguir um bom balanço no carro. Conseguimos melhorar, fomos mais competitivos, mas o desgaste não foi de forma homogênea, então o acerto ainda não era o ideal. O carro era traseiro, mexemos e ficou muito dianteiro. Somamos bons pontos com o sexto lugar, fizemos o dever de casa de colher boas informações sobre o carro para começarmos o ano ainda melhor. Voltamos para a corrida de duplas, ainda não vou anunciar meu parceiro, mas ele já está definido. Espero que 2022 seja um grande ano para nós. Quero agradecer a toda a equipe, patrocinadores, a Shell. Todos acreditaram no nosso projeto e foram fundamentais para sair do papel essa equipe.” Átila Abreu “No Laranjinha é praticamente impossível ultrapassar. Eu sabia que ele estava próximo, mas não imaginava que atacaria ali. Foi uma manobra agressiva, mas não o vejo como culpado pelo toque. Foi uma pena porque eu tinha 8 dos 10 pushes e não precisava abastecer. Era uma chance muito boa para vencer. Mas valeu pelo desempenho. Mostramos boa performance no fim de 2021, o que anima para entrarmos fortes na temporada 2022” Galid Osman Stock Car – Classificação final (top10):

1. Gabriel Casagrande 378 pontos 2. Daniel Serra 354 3. Thiago Camilo 310 4. Ricardo Zonta 307 5. Ricardo Mauricio 304 6. Rubens Barrichello 282 7. Allam Khodair 270 8. Átila Abreu 255 9. Cesar Ramos 245 10. Diego Nunes 226 19. Galid Osman 132

0 views0 comments