• Renan Correa Leandro

TIGRE LANTERNA RECORRE À TROCA DE COMANDO

Já chegamos à sétima rodada e faltando somente quatro para acabar a primeira fase, o equilíbrio e as incertezas têm sido marcantes nessa competição.


Nenhum time pode entrar em campo contando com vitória fácil. Do primeiro ao último, os jogos têm sido difíceis e imprevisíveis. Mas, não há como não citar hoje o calvário vivido pelo Criciúma. O tradicional time do Sul do Estado está amargando a lanterna da competição com apenas três empates e quatro derrotas. São quatro pontos de distância para o primeiro time fora do Z-2. Se o Tigre não vencer imediatamente, não se surpreendam em anunciarmos daqui a uma semana que este time que outrora ganhou títulos importantes vai disputar a segundona catarinense. Pontuando isso, vamos aos jogos da rodada!

Tudo tem a primeira vez. Em Jaraguá do Sul, no Estádio João Marcatto, Juventus e Joinville fizeram o confronto da região Norte. Com gols de Fabinho, Wallinson, Eric Di Maria (JUV); Edson Ratinho e Yann Rolim (JEC), o que se viu foi um jogo com muito equilíbrio. No detalhe, o Juventus conseguiu ficar sempre na frente do placar e os 3 pontos vieram em um pênalti infantil cometido pelo lateral Gabriel Sales, do Joinville. Sempre há a primeira vez. Foi a primeira vez que o Tricolor fez dois gols num jogo, a primeira vez que tomou mais de um gol e, sobretudo, a primeira derrota no Catarinense. Juventus 3 x 2 Joinville.

Furacão arrasador. Em Florianópolis, jogando no Orlando Scarpelli, o Figueirense recebeu o Hercílio Luz e não deu qualquer possibilidade do Leão do Sul esboçar qualquer reação. Com menos de um minuto de jogo, o Furacão já abria o placar (com Blaise) e no fim do primeiro tempo, o nome do jogo, Lincon, ampliaria o marcador. Além disso, vivendo um dia iluminado, o próprio Lincon entraria para a história do clube ao fazer “o gol que Pelé não fez” no segundo tempo, ao perceber o goleiro Roballo adiantado, encobrindo-o do “meio da esquina”. Tudo isso, foi ótimo para o alvinegro que se recupera na tabela e afasta a possibilidade de rebaixamento. Figueirense 3 x 0 Hercílio Luz.

Tudo igual entre líder e vice-líder. Chapecoense e Brusque se enfrentaram na Arena Condá e não saíram do zero. Após um primeiro tempo lá e cá, no segundo tempo o Quadricolor do Vale se contentou com o empate e apostou nos contra-ataques. Por sua vez, o Verdão do Oeste atacou, atacou, atacou e nada conseguiu. Há pouco que se comentar do jogo, exceto pelas boas defesas do goleiro Dalberson (Brusque), que tem méritos neste pontinho importante que o Brusque levou para casa. Chapecoense 0 x 0 Brusque.

Tigre na degola derruba o treinador. O confronto citadino entre Criciúma e Próspera custou caro ao professor Hemerson Maria. Apesar do jogo ser entre um grande e um pequeno, dentro das quatro linhas houve um confronto entre iguais. O Próspera, muito organizado e contando com boa atuação do meia Leomir, chegou algumas vezes com perigo e foi premiado com o gol no primeiro minuto do segundo tempo, em cobrança de falta de Roger. O Tigre tentou reagir, mas continuou pecando pela falta de capricho de seus atacantes. Por fim, restou ao Criciúma ir ao mercado procurar um novo treinador, criando o famigerado “fato novo” para tentar fugir do inédito rebaixamento no Catarinense. Criciúma 0 x 1 Próspera.

Primeira vitória do Metrô. Este colunista que vos escreve chegou a crer que o time de Blumenau estaria certamente entre a dupla de rebaixados. Agora passo a duvidar dessa hipótese. Anteriormente, o que estávamos identificando no Crocodilo do Vale eram bons jogos, mas uma falta incrível de competência para botar a bola na rede. Não mais! O Metropolitano foi até o Oeste do Estado enfrentar o Concórdia e em 15 minutos arrasadores na etapa complementar, construiu sua vitória numa tarde bem inspirada do trio Daniel Bahia, Iberê e França (cada um fez um gol). Já o Concórdia (que descontou aos 35 do segundo tempo, com Cleisson Tetê), amargou sua segunda derrota em casa na competição e passa a se preocupar com a zona do rebaixamento. Concórdia 1 x 3 Metropolitano.

Chuva de cartões vermelhos e nada de criatividade. Avaí e Marcílio Dias se enfrentaram na Ressacada e em um jogo pegado, com poucas jogadas de gol e sem emoção, acrescentaram pouco ao campeonato. Olhando para a tabela, o Marinheiro saiu no lucro, já que se consolida mais uma rodada entre os quatro melhores. Para o Avaí, que é o último no G-8, não foi nada animador (sua posição está longe de ser confortável). De resto, o que sobrou foi um recorde de expulsões. Betão e David Batista foram expulsos em campo, e Bruno Silva foi expulso após ser substituído. Avaí 0 x 0 Marcílio Dias.


Minha Seleção da rodada (Esquema 4-3-3)

GOL: Dalberson (Brusque)

LD: Edson Ratinho (Joinville)

ZG: Éverton Alemão (Brusque)

ZG: Magrão (Marcílio Dias)

LE: Cesinha (Juventus)

VOL: Khevin (Figueirense)

ME: Marllon (Figueirense)

ME: Leomir (Próspera)

ATA: Daniel Bahia (Metropolitano)

ATA: Eberê (Metropolitano)

ATA: Lincon (Figueirense)

Técnico: Paulo Baier (Próspera)


CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO




Recent Posts

See All