• Fernando Lima

Top5 escapa na volta final em Mid-Ohio

Gaúcho novamente protagoniza duas grandes escaladas de pelotão, mas é rodado por adversário após a bandeira branca quando vinha em quarto.


Miguel Paludo fechou sua trilogia na NASCAR em grande estilo na tarde deste sábado (5) em Mid-Ohio, pista onde o piloto BRANDT acelerou pela primeira vez na vida nas voltas de apresentação para a etapa da Xfinity Series. O gaúcho escalou no pelotão duas vezes e abriu a volta final em quarto, quando foi empurrado para a grama por um concorrente que havia ultrapassado na volta anterior. A vitória ficou com AJ Allmendinger e o carro #16.


O brasileiro e o Chevrolet Camaro #8 preparado pela JR Motorsports foram protagonistas nas três corridas realizadas em seu retorno à NASCAR graças ao patrocínio da BRANDT. No “roval” de Daytona largou do fim do grid e terminou em sétimo. No Circuito das Américas sofreu quebra na metade da corrida quando vinha em sexto. E em Mid-Ohio deu show de ultrapassagens e defesas de posições nas 78 voltas da prova.


A corrida


Sem quali nem treino livre, Miguel largou em 29º conforme a colocação do Camaro #8 no campeonato de proprietários dos carros da NASCAR.


Na partida, alguns carros escaparam na saída da curva 4 logo na primeira volta. Paludo se livrou da confusão e avançou cinco posições antes de a bandeira amarela ser acionada com o carro de Noah Gragson bastante danificado.


A relargada veio na quinta volta, com o piloto BRANDT em 24º.


Ele avançou duas posições até a corrida novamente ser interrompida com bandeira amarela na oitava volta. Com a parada de outro carro na garagem antes da relargada, partiu em P21 quando a bandeira verde foi agitada no 12º giro.


Mais duas voltas, mais duas posições conquistadas pelo gaúcho.


Harrison Burton escapou com o carro #20 e danificou a parte frontal de seu carro, mas a NASCAR não chamou a bandeira amarela. Paludo era 18º na volta 20, a cinco do fim do primeiro segmento.


A três voltas do fim do segmento, Miguel fez sua primeira parada para reabastecimento.


A corrida tinha uma regra particular de pit-stops, com os crew chiefs tendo que optar por paradas para reabastecimento ou para troca de pneus em cada passagem pelo box.

Na volta final do segmento, o Chevrolet Camaro #8 deu uma escapada de pista na curva 9 e retornou sem danos aparentes depois de passar pela brita. Ele perdeu a volta do líder, mas logo foi beneficiado pelo lucky dog, pois era o primeiro colocado com uma volta a menos no momento da bandeirada.


Passou duas vezes pelos pits em voltas diferentes para novo reabastecimento e troca de pneus e alinhou em 26º para a primeira relargada do segundo stint.


A escalada de pelotão recomeçou com quatro posições conquistadas na primeira volta do segmento em bandeira verde. Na terceira volta, passou pela linha de chegada em vigésimo. No giro seguinte, era 19º.


Quando veio a quarta amarela da tarde, a dez voltas do fim do segmento, Paludo ocupava a 18ª posição e vinha registrando suas voltas no mesmo ritmo dos ponteiros.


Alguns pilotos optaram por uma passagem pelos pits, o que promoveu o representante da BRANDT para 15º na relargada da volta 43. Faltavam sete para o fim do segmento 2.


O Camaro #8 ganhou mais um par de posições faltando quatro voltas para o encerramento do segundo stint. E novamente entrou para box faltando duas voltas para a neutralização mandatória, para reabastecimento –assim poderia para apenas para pneus antes do segmento 3.


Paludo recebeu a quadriculada branca e verde no 23º posto e entrou no box na primeira volta do ciclo de paradas, agora para troca de pneus.


Com o pelotão reordenado, o hexacampeão da Porsche Cup aparecia em nono para o início do terceiro e último segmento.


Ele soube se posicionar para defender o top10 e na volta seguinte desenhou bem a linha para ganhar posições em cima do carro #90 e #99 para ser oitavo.


Depois, sempre bastante pressionado pelo carro #11 de Justin Haley, superou Landon Cassil para conquistar o sétimo lugar.


O #11 eventualmente conseguiu a ultrapassagem, mas Miguel rapidamente seguiu sua linha e logo superou o carro #02. A seguir AJ Allmendinger veio com muita ação e passou o brasileiro, que tratou de segui-lo para continuar sua escalada dentro do top10. Faltavam 13 voltas para o final.


Duas voltas mais tarde, Miguel passou Ryan Sieg e retornou ao sétimo lugar.

A sete voltas do final a bandeira amarela novamente foi acionada para resgate do carro de Jeb Burton, atolado na brita.


Depois de consultar o crew chief Taylor Moyer pelo rádio, Miguel seguiu na pista, bem como todos os que vinham à sua frente. Com o pelotão se acomodando, Austin Cindric acabou sobrando, e Miguel assumiu a quinta posição. Mais atrás houve enrosco no pelotão intermediário e novamente foi acionada a bandeira amarela: prorrogação à vista.


Com o pelotão pronto para relargada, o carro #02 parou com aparente pane seca. Então o procedimento foi adiado para o giro seguinte aumentando o drama para todos que haviam feito seu último reabastecimento no fim do segundo segmento – Paludo inclusive.


Ele caiu para sexto na relargada, mas veio no ritmo dos ponteiros a volta inteira.


Andy Lally teve pane seca na última curva, Paludo voltou para quinto e depois avançou para quarto lugar, passando Riley Herbst.


Mas o competidor do carro #98 não aceitou manobra e, no melhor estilo NASCAR, fez Paludo rodar em plena reta. O gaúcho retornou para a pista e recebeu a bandeirada em 27º.


Palavras do Piloto:

“Foi um dia bom. É difícil vir de trás nessa pista. Se não saísse bem das curvas 1 e 2, era difícil. Eu tinha uma freada boa, mas no início não conseguia a melhor tração na saída das curvas. Procurei poupar pneu e fui ganhando posição devagar, pois uma vez que pegava um concorrente na parte em S não tinha muito o que fazer. Paramos para combustível e não tinha como fazer ajustes na primeira parada. Aí acabei cometendo um erro ao pegar um buraco, que me jogou na brita. Ainda bem que consegui sair e voltamos para briga. Voltei lá de trás e fomos evoluindo depois de alguns ajustes. Ainda estava um pouco dianteiro nas curvas para direita e naquela última parada o Taylor ajustou e no fim voltei a ter o ritmo dos ponteiros. Aí fui agressivo nas relargadas e fomos até o top5. E o #98 me mandou pra fora. Ele tentou na primeira vez, eu corrigi, e aí na segunda ele veio para me tirar da corrida. Acabou com nosso dia. Foi um fim frustrante, porque passamos o dia todo trabalhando para evoluir saindo de 29º para quinto. E acho que o #11 eu ia acabar passando também porque estava com o pneu arrastando na lataria do carro. Aí o #98 me mandou pra fora...
Mas estou orgulhoso das três corridas como um todo. Cada vez que eu ando eu me sinto melhor e mesmo sem conhecer as pistas mostramos que temos velocidade. Então quero agradecer muito ao trabalho de todos no time do carro #8, agradecer à BRANDT pela oportunidade. Agora foco total na Porsche, para buscar mais um campeonato lá”

Miguel Paludo

16 views0 comments