• Glênio Heleno Honorato

TUDO IGUAL NO MINEIRO

O primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro não saiu do 0 x 0.


Em um jogo de poucas emoções, as equipes se respeitaram muito, o que frustrou as expectativas de um jogo com mais velocidade e várias oportunidades de gol.


No primeiro tempo, as equipes entram em campo mais pensando em se defender do que atacar. Bom para o Galo, que tem a vantagem do empate ou de dois resultados iguais, vitória e derrota com a mesma diferença de gols.

Hulk pouco fez no jogo. Foto (Twitter @Atletico)

Cuca por sua vez entrou com Rever surpreendentemente como volante, mas atuando quase que como um terceiro zagueiro. Lisca por sua vez preferiu entrar com o mesmo time da vitória no clássico contra o Cruzeiro, mas com funções táticas de alguns jogadores bem mais defensivas.


Na segunda etapa, o Atlético voltou com uma mudança significativa, saiu Rever e entra o Alan, e agora não tinha mais um volante preso entre os dois zagueiros, mas Lisca respondeu à mexida de Cuca e colocou Ademir em campo, que em uma jogada de velocidade no contra ataque saiu no “facão” em direção ao gol de Everson e, se não fosse a intervenção faltosa de Alan , fatalmente Ademir faria o gol.


O árbitro não “titubiou” e foi vermelho direto para o volante Alan. Mediante a expulsão de seu volante, Cuca fechou o time, e colocou a vantagem do regulamento debaixo do braço, e foi só.

Ademir quase fez o gol do jogo. Foto (Twitter @Americamg)

Jogo com poucas ações ofensivas, e empate de 0x0 fraco!


O CARA DO JOGO: Ale, meio campista do América foi eleito o cara do jogo. Volante de marcação e boa saída de bola.


A DECEPÇÃO: A decepção fica por conta do respeito mútuo de ambos os treinadores, e o medo de ganhar.


CORNETA DO COLUNISTA: Um time com várias estrelas como o do Atlético Mg não pode se dar o luxo de entrar em campo com uma mentalidade defensiva, com “heróis” como Hulk e o “Homem Arana “ não dá!


10 views0 comments

Recent Posts

See All